Clique para ampliar

Compartilhar:

Periódico CORREIO IMPERIAL Editado Pelos Príncipes Imperiais "Espectaluco Festejando Libertação Dos Escravos de Petrópolis no Domingo de Páscoa" 1° de Abril de 1888 Edição n°19, Anno II de 12 de Abril de 1888

R$ 900,00
ou R$ 810,00 por depósito bancário

Periódico CORREIO IMPERIAL Editado Pelos Príncipes Imperiais

"Espectaluco Festejando Libertação Dos Escravos de Petrópolis no Domingo de Páscoa" 1° de Abril de 1888

Edição n°19, Anno II de 12 de Abril de 1888

Rio de Janeiro, sobre Espectaculo a Festejar a Libertação dos Escravos em Petrópolis e Poemo á Princeza Imperial , Typ. Imperial.

Excelente estado

ABOLIÇÃO PETROPOLITANA

O Mercantil de oito de junho de 1887, assinala que durante uma festa de cunho abolicionista, realizada no dia 07 no Palácio Itamarati, no Alto da Boa Vista, para solenizar o restabelecimento da saúde do Imperador. D. Pedro II, participaram membros de uma comissão organizada na cidade de Petrópolis, e que para comemorar tal:

“... nada seria mais agradável ao coração de Vossa Majestade do que promover-se a libertação de escravos, a Comissão vem hoje apresentar a Vossa Majestade, sessenta e duas cartas de Liberdade como uma pequena prova do muito amor e respeito que consagra à pessoa de vossa Majestade...”.

Praticamente é o início da configuração abolicionista na terra que o Imperador tanto rendia sua presença.

Cerca de dez meses mais tarde, quando o Imperador se encontrava em viagens pela Europa, a Princesa Isabel ocupava como regente o trono do Império. Este fato contribuiu mais ainda para que o processo abolicionista que se arrastava por décadas tivesse seu término.

Assim sendo, em primeiro de abril de 1888, portanto a quarenta e dois dias da assinatura da Lei Áurea, da abolição geral, Petrópolis, em um domingo de festas:

“... as duas horas da tarde no Pavilhão Hortícola (Palácio de Cristal), tem uma promoção dos Augustos Príncipes. A Princesa Imperial Regente, junto ao Conde D’Eu, seus filhos, o presidente do conselho e distintos membros do Ministério e de delegações estrangeiras, além da Imprensa em geral promulga a libertação dos escravos em Petrópolis. O ato se inicia com o orador, Dr. José da Silva Costa, findo o qual, desfilaram os cativos matriculados existentes em Petrópolis e alguns de outros municípios. Sua Alteza graciosamente distribui as 120 cartas de liberdade que eram trazidas uma a uma pelos jovens príncipes, D. Pedro e D. Luiz. Finda a emocionante cerimônia lavrou-se o ato da solenidade, e as 16h30min, entre alegres vivas, termina a festa. (21)”

http://www.ihp.org.br/26072015/lib_ihp/docs/ofsf20111203a.htm

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura